Categoria: Notícias

Sam Claflin diz estar “inseguro” após sofrer “body shaming” em set

Sam Claflin diz estar “inseguro” após sofrer “body shaming” em set

Depois de mostrar seu físico em longas como “Jogos Vorazes”, “Como Eu Era Antes de Você” e “Piratas do Caribe”, Sam diz estar inseguro com seu própio corpo após sofrer body shaming (Body Shaming é ser humilhado por causa do seu corpo) em set de filmagens.

Em entrevista ao  The Sydney Morning Herald, Sam disse “Lembro de estar em um trabalho em que literalmente me fizeram puxar minha camisa e agarraram minhas gordurinhas e disseram: ‘você precisa perder um pouco de peso’”. “Outra vez me deram uns tapas. Eu me senti como um pedaço de carne.”

Claflin continuou e disse que a quantidade de body shaming que ele sofre por parte da equipe de produção é semelhante à sofrida pelas atrizes femininas. “Eu li recentemente em uma entrevista e acho absolutamente verdade: para os homens é tão ruim quanto para elas. Bem, não é tão ruim quanto, mas também é ruim e nunca se fala sobre isso”.

Claflin  contou um pouco, mas acrescentou que fica ansioso quando ele tem que se despir em alguma cena. “Cada trabalho que se aproxima, me sinto inseguro – especialmente quando tenho que me despir – fico tão nervoso”, disse ele. “Eu cheguei ao ponto em que passo horas e horas na academia e não como por semanas para conseguir o corpo que eles querem”.

Assista ao novo trailer de “My Cousin Rachel”

Assista ao novo trailer de “My Cousin Rachel”

No terceiro trailer do suspense My Cousin Rachel, Sam Claflin esta enfeitiçado pela mulher que ele suspeita ser responsável pela misteriosa morte do seu guardião.

Baseado no romance clássico de Daphne Du Maurier, o órfão Phillip Ambrose (Sam Claflin) tem sua tranquilidade interrompida quando recebe uma carta de seu primo mais velho Ambrose, que diz estar sendo envenenado. Ambrose logo aparece morto, aparentemente de um tumor cerebral, mas Phillip desconfia da estranha esposa de Ambrose Rachel, interpretada por Rachel Weisz.

Confira:

NOTÍCIA: Filme de Sam Claflin ganha nome de We Happy Few

NOTÍCIA: Filme de Sam Claflin ganha nome de We Happy Few

O novo filme do Sam baseado no livro Their Finest Hour and a Half ganhou o nome de We Happy Few. Foi liberada também a sinopse do filme, confiram:

“We Happy Few é uma história emocionante e divertida sobre uma jovem roteirista que apesar de viver em tempos díficeis e obscuros de invasões e ataques à cidade londrina durante o período da Blitz, entra em uma jornada de autoconhecimento regada com diálogos rápidos, ousados e cômicos.”

Fonte: http://www.bbc.co.uk/bbcfilms/film/we_happy_few

Sam Claflin irá protagonizar a adaptação de Journey’s End

Sam Claflin irá protagonizar a adaptação de Journey’s End

O site screendaily noticiou que o Sam será um dos protagonistas de Journey’s End, um filme sobre a Primeira Guerra Mundial:

O ator de Jogos Vorazes, ‘Sam Claflin irá estrelar como o Capitão Stanhope na adaptação para o cinema do classico de R.C. Sheriff sobre a Primeira Guerra Mundial, Journey’s End.

Freddie Highmore (Bates Motel) é esperado para co-estrelar como Raleigh, enquanto Paul Bettany (Margin Call) e Toby Jones (Tinker Tailor Soldier Spy) também estão associadas em papéis principais.

Situado nas trincheiras ao longo de quatro dias em 1918, Journey’s End segue um grupo de soldados que se preparam para um ataque inimigo quando um novo recruta, Raleigh, entra para a tripulação comandada pelo Capitão Stanhope, de 20 anos, seu ex-amigo de infância e herói, que mudou quase além do reconhecimento seguindo o angustiante serviço na liderança.

O filme será produzido por Guy de Beaujeu e Simon Read (Private Peaceful), a partir de roteiro adaptado pelo último.

A companhia de vendas Metro International estará vendendo o projeto na AFM e se sabe que está em negociações para um diretor A-list para filmarem o filme em UK no próximo ano.

O antecipado projeto tem sido debatido por vários anos, mas enfrentou atrasos devido a complicações que cercavam a propriedade dos direitos.

No ano passado o Príncipe Andrew supostamente enviou uma carta a Warner Bros pedindo os executivos do estúdio para não ficarem no caminho de um novo filme quando souberam que o estúdio era dono de alguns direitos para o filme.

Laurence Olivier estrelou a versão original de 1928 do filme. Até o final de 1929, Journey’s End tinha sido distribuído por 14 empresas em todo o Reino Unido e traduzido para 17 línguas.

Claflin, cuja a popularidade continua a aumentar, filmou recentemente The Huntsman, a sequência de Snow White and The Huntsman, e está atualmente filmando Their Finest Hour And A Half de Lone Scherfig junto com Gemma Arterton.

Fonte | Tradução: Leili – Equipe Sam Claflin Brasil

Sam responde a perguntas de fãs no Twitter

Sam responde a perguntas de fãs no Twitter

No dia 03/11, Sam respondeu a algumas perguntas de fãs no Twitter @STUDIOCANAL_DE. Ele respondeu por video as perguntas sobre o filme. Abaixo a transcrição das perguntas e respostas e os videos, para quem quiser assistir.

Pergunta: Qual sua cena preferida do filme?
Sam: Minha cena preferida do último filme é provavelmente a cena que estamos pegando fogo. Além do fato de que foi uma das mais difíceis de filmar, por motivos óbvios, foi um momento bem emocionante pra mim, pessoalmente, e exigiu o máximo de mim. Foi bem desafiador, mas adoro desafios. Então, foi essa sequência do fogo.

 

Pergunta: Qual foi o maior desafio que você encarou enquanto gravava esses filmes?
Sam:
Meu maior desafio como Finnick foi capturar as diversas camadas de sua personalidade. No primeiro filme, ele é muito charmoso, carismático e confiante. No segundo, muito melancólico, sensato, desesperado e perdido. Isso tudo antes dele meio que renascimento em Jogos Vorazes  – A  Esperança – O Final. Isso foi muito desafiador pra mim.

 

Pergunta: Descreva a personagem de Finnick em 3 palavras.
Sam:
Para descrever o Finnick em 3 palavras eu usaria: complicado, bonito – em mais de uma forma – e apaixonado.

 

Pergunta: Qual foi seu melhor momento no set?
Sam:
Meus momentos favoritos no set provavelmente seriam aqueles que acredito que muitos atores tenham ou outros trabalhos. Aqueles momentos que costumo chamar de “Me belisca” quando você olha em volta e se dá conta do que está fazendo, como que está e se lembra que você costuma sonhar com isso. Então, olhava em volta e vi as pessoas com quem tava trabalhando, o filme que tava trabalhando e era um sonho.

 

Pergunta: Você levou alguma coisa do set? Se sim, o que foi?
Sam:
Infelizmente não levei nada. Eu queria ter levado meu tridente para casa, mas como resultado tive que usar um cabo de vassoura. Então, é um pouco deprimente que deixo isso apenas com minhas memórias e lembranças. Na verdade, estou levando um monte de melhores amigos, isso é uma vitória.

 

Pergunta: Do que você mais sentirá falta (equipe, etc)? Vocês tinham algum ritual no set?
Sam:
Acho que o que mais vou sentir falta dos filmes no processo é da galera. Você acaba criando uma rotina, vai pra maquiagem na mesma hora de manhã, vê as mesmas pessoas da equipe todo dia no mesmo horário, vai embora no mesmo horário. Espero que a gente reúna a galera toda alguma vez.

 

Pergunta: Sua frase favorita da sua personagem no filme.
Sam:
Minha frase favorita desse filme tem que ser “Senhoras e senhores, bem vindos ao 76º Jogos Vorazes”. Mas, antes desse, no Jogos Vorazes – A Esperança – Parte 1, é aquela “Demora dez mais pra você se recompor do que para você desmoronar”

 

Pergunta: Como a franquia de Jogos Vorazes impactou na sua vida?
Sam: A franquia me afetou de uma forma estritamente positiva. Na minha carreira e como pessoa. Pessoalmente, acho que me fez crescer como ator, ter confiança em mim e me fez perceber que não só trabalho, eu me divirto. Nós somos uma família feliz, que isso continue.

 

Pergunta: Você chorou no último dia que filmou?
Sam: Sendo sincero, não chorei no último dia. Chorei no dia antes do último dia porque aquele era meu último dia de filmagens, então me despedi de todos, fui falar com todos da equipe, do elenco e no final do dia quando anunciaram que tinham acabado, alguém disse no meu ouvido que eu teria que trabalhar na manhã seguinte. Então, teoricamente eu não chorei. Foi um dia muito emocionante, na verdade.

 

Pergunta: O que significa pra você fazer parte de uma franquia de tanto sucesso?
Sam: Significa o mundo pra mim ser parte de uma franquia como Jogos Vorazes, não apenas porque tem cineastas incríveis e fãs muito apaixonados, leais e respeitadores, mas não é impactante somente na minha vida, mas na de todos. Não importa quem você é e de onde é, é um sonho se tornando realidade.

 

Tradução: Caroline – Equipe Sam Claflin Brasil

Novo photoshoot de Sam Claflin para o The Guardian

Novo photoshoot de Sam Claflin para o The Guardian

Confiram abaixo as novas fotos do Sam para a seção fashion do The Guardian

the guardian fashion 5 the guardian fashion ' the guardian fashion 4 the guardian fashion 6

Post Archive:

Page 1 of 4 1 2 3 4